Voltar à Home Page
CAL NAS ARGAMASSAS
DICAS E & C
Introdução
Blocos de Concreto
Cal nas Argamassas
Certidão do Habite-se
Consumo de Energia
Consumidor
Compra de Terreno
Falsos Profissionais
Formas de Contrato
Lajotas de Concreto
Limpeza de Pastilhas
Manutenção Predial
O Homem e a Cor
Pintura Alternativa
Resistência de Pisos
Redução de Custos

Há uma variedade enorme de argamassas industrializadas prontas para serem utilizadas no canteiro de obras, mas apesar de todas estas facilidades ainda é muito comum o preparo convencional da argamassa no local da obra, com a compra em separado do cimento e agregados.

Em uma construção convencional, o revestimento de uma parede é constituído por três camadas (chapisco, emboço e reboco). O chapisco é necessário para promover a aderência do emboço, evitando que o mesmo se solte. O emboço é a camada de regularização da superfície, não devendo ser superior a 2cm. Já o reboco tem pequena espessura, sendo uma camada fina que serve para preparar a superfície par receber o acabamento final, como por exemplo, a pintura.


Emboço deterioradoNo preparo do emboço é muito comum utilizar uma mistura constituída por cimento, areia e barro. O barro funciona como liga, dando plasticidade à mistura, facilitando o espalhamento e a aplicação da argamassa. Mas o uso do barro se dá mais por questões "econômicas", pois é barato, aliado ao fato de ser encontrado com certa facilidade na natureza. No entanto, o uso do barro é uma cultura enraizada que deve ser cortada pela raiz. A razão é simples: Argamassas executadas com o uso de barro têm baixa resistência e durabilidade, pois o barro se comporta de maneira negativa em presença de umidade, sofrendo expansões e contrações que provocam o surgimento de fissuras e a desagregação do revestimento. A foto acima ilustra a deterioração do revestimento causada pela ação da umidade externa. O revestimento (emboço) foi executado com o uso de barro, sendo a tinta de acabamento aplicada sobre o mesmo.

Então, qual seria o substituto ideal para o barro? A resposta é também simples, ou seja, a cal hidratada, um aglomerante que adiciona vários benefícios a uma argamassa.

Para entender os benefícios da cal é interessante conhecer um pouco do processo de obtenção da mesma, que tem início com a extração de rochas carbonatadas. Para rochas carbonatadas de calcário (variedade de rocha onde o constituinte principal é o carbonato de cálcio), o agregado obtido é submetido à ação do calor (processo denominado calcinação) em fornos apropriados, com temperatura entre 850 e 1200ºC. Nesta reação química, o carbonato de cálcio, sob a ação do calor, se decompõe, formando o óxido de cálcio (cal) e o dióxido de carbono, sendo que este gás se desprende resultando basicamente a cal. A equação química abaixo ilustra a reação ocorrida nesta fase.

Equação química

A cal, assim obtida é denominada cal virgem, cal viva ou cal aérea. Ainda não está pronta para ser utilizada, necessitando passar por um processo de moagem, sendo então misturada com água em proporções adequadas. Deste processo resulta o hidróxido de cálcio (cal hidratada), cuja equação química é mostrada abaixo.

Equação química

Quando a cal hidratada é utilizada no preparo de uma argamassa e posteriormente aplicada, ocorre a seguinte reação: A água excedente evapora e o dióxido de carbono presente na atmosfera penetra no revestimento, resultando na formação da "rocha carbonatada".

Parede revestida

A equação química que ilustra o processo acima é representada abaixo para a cal hidratada derivada de rochas carbonatadas.

Equação química

Pelo que foi ilustrado acima, percebemos que a cal hidratada retorna à sua condição primitiva que era a de rocha cálcaria, resultando assim, em um produto final (argamassa) estável e resistente. Notamos também que o endurecimento se processa de forma lenta e de fora para dentro, requerendo uma superfície com uma certa porosidade para permitir a evaporação da água excedente, e ao mesmo tempo permitir penetração do dióxido de carbono presente na atmosfera. Pelo fato do endurecimento ser lento é adicionado cimento à mistura, que promove a aderência e resistência inicial do revestimento.

Paredes revestidas com argamassas contendo cal hidratada não podem ser pintadas imediatamente após o término dos serviços. É necessário um tempo de cura (mínimo de trinta dias) para que o revestimento ganhe resistência, pois a tinta forma uma película "impermeável" que dificulta a evaporação da água e a penetração do gás carbônico, resultando assim em um revestimento fraco e de pouca durabilidade. Esta observação deve ser seguida para outros tipos de revestimentos decorativos.

A cal hidratada é um produto em forma de pó seco, comercializada em embalagens (sacos) de 20kg, sendo classificada de acordo com sua composição química em CH-I, CH-II e CH-III.

CH-I
Quando constituída essencialmente de hidróxido de cálcio ou de uma mistura de hidróxido de cálcio e hidróxido de magnésio, com teor de gás carbônico igual ou menor que 5%. CH-II
Quando constituída essencialmente de uma mistura de hidróxido de cálcio, hidróxido de magnésio, e óxido de magnésio, com teor de gás carbônico igual ou menor que 5%, sem limites para os teores de óxidos não hidratados.

CH-III
Quando constituída essencialmente de uma mistura de hidróxido de cálcio, hidróxido de magnésio e óxido de magnésio, com teor de gás carbônico igual ou menor que 13%.

Benefícios de uma argamassa contendo cal hidratada

Argamassas mistas (cimento-cal-areia) apresentam resistência mecânica e ação impermeabilizante superior às argamassas onde o aglomerante cal é substituído por barro;

A cal confere ótimo poder de sustentação da areia. Isto significa ausência de segregação e facilidade de manuseio e aplicação de argamassas contendo cal hidratada;

Revestimentos feitos com o uso da cal são mais estáveis e duráveis, além disso a cor clara contribui para um melhor isolamento térmico;

Ganho de resistência e compacidade (redução do volume de vazios) com o tempo;

A cal tem poder bactericida.

Certamente, para se obter uma argamassa mista (cimento, cal e areia) resistente e durável, seja para o revestimento de paredes ou assentamento de componentes (tijolos cerâmicos, blocos de concreto, blocos de concreto celular autoclavado, etc), é necessário o uso de materiais adequados dentro de uma dosagem racional. Cuidados no preparo da superfície e atendimento às boas normas de engenharia devem ser observados.

Quando for comprar cal hidratada, verifique na embalagem se há o selo da ABPC (Associação Brasileira dos Produtores de Cal). Este selo indica que o produto é adequado para a finalidade a que se propõe, garantindo que a cal é fabricada em obediência à composição química estabelecida pela norma brasileira NBR-7175.

Para saber mais:
A cal Fundamentos e Aplicações na Engenharia Civil
José Epitácio Passos Guimarães - Editora Pini
Materiais de Construção, volume 1
L.A. Falcão Bauer - Editora LTC
Jorge Henrique Pezente
Engenheiro Civil
www.escolher-e-construir.eng.br
Preparar para imprimir sobe